Ir direto para menu de acessibilidade.
Você está aqui: Página inicial
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Dois câmpus do IFSul integram cerimônia coletiva do MEC

Na solenidade, foi inaugurado o câmpus Sapiranga e assinada a portaria do câmpus avançado Novo Hamburgo

  • Escrito por Coordenadoria de Comunicação Social
  • Publicado: Segunda, 09 de Maio de 2016, 17h55
  • Última atualização em Segunda, 09 de Maio de 2016, 18h17

Em solenidade que inaugurou 41 novos câmpus em 21 institutos federais e 224 obras em 38 universidades federais de todo o país, o IFSul esteve amplamente representado. Na cerimônia coletiva organizada pelo Ministério da Educação (MEC) nesta segunda-feira (09), no Palácio do Planalto, em Brasília, foi inaugurado o câmpus Sapiranga e assinada a portaria que consolida o câmpus avançado Novo Hamburgo. Na ocasião, que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff, o reitor do IFSul, Marcelo Bender, também integrou a mesa de autoridades como presidente do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).
Para o reitor Marcelo Bender, a inauguração do câmpus Sapiranga e a assinatura da portaria do câmpus avançado Novo Hamburgo coroam o esforço despendido pelo instituto na construção e implantação das unidades criadas a partir da terceira fase de expansão da Rede Federal. “Dividimos essa conquista com a equipe dos câmpus e da Reitoria que têm se esmerado para garantir o alto nível de qualidade do nosso ensino e para contribuir com o desempenho dos institutos federais em todo o país”, destaca Bender, reforçando que a solenidade marcou a inauguração de outros câmpus da Rede Federal e representa a importância dada pelo governo a esse projeto estratégico de país.

 

Câmpus Sapiranga já é referência na cidade e municípios vizinhos

"Esse trabalho realizado junto à comunidade fortalece a nossa identidade regional", avalia o diretor José Itturriet

O reconhecimento do trabalho realizado pelo câmpus na região é o que, segundo o diretor-geral do câmpus Sapiranga, José Itturriet, é mais gratificante de constatar nesse momento. Segundo ele, a integração do câmpus com a comunidade tem se dado em várias frentes, como por meio de projetos de extensão, de trabalhos realizados junto às escolas do município e de participação em feiras de ciências da cidade e região. “Esse trabalho realizado junto à comunidade fortalece a nossa identidade regional”, salienta o diretor.

Com 204 alunos presenciais de cinco cidades do Vale do Rio dos Sinos e 160 alunos a distância, o câmpus tem se tornado uma referência em Sapiranga e em cidades vizinhas. “Por meio do trabalho dos nossos profissionais, construímos uma visibilidade muito grande do câmpus junto à comunidade, que já percebe o IFSul como uma grande instituição”, avalia Itturriet.

Além da expressiva quantidade de alunos, o diretor comemora o número de cursos já em funcionamento no câmpus. Atualmente, são oferecidos na unidade, de forma presencial, os cursos técnicos de manutenção e suporte em informática, eletromecânica, eletroeletrônica e informática. Na modalidade a distância, são realizados cursos do Profuncionário nos polos de Sapiranga, Novo Hamburgo e Santo Antônio da Patrulha.

 

Câmpus avançado Novo Hamburgo intensifica atendimento das demandas da região

Uma das mais novas unidades do IFSul, o câmpus avançado Novo Hamburgo teve sua trajetória iniciada em 2014, quando começou a ofertar 120 vagas de cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC) pelo Pronatec, tendo como destaque o curso de recepcionista do programa Mulheres Mil. De lá para cá, segundo o diretor Gelson Corrêa, o câmpus busca intensificar o atendimento das demandas da comunidade, ofertando uma formação alinhada às necessidades locais. “Enquanto os cursos do Mulheres Mil e do Proeja foram implantados com o objetivo de atender a um público antes sem acesso à qualificação, o técnico em mecatrônica vem cumprir um papel social e de diversificação do ensino técnico na região”, ressalta Gelson, lembrando as audiências públicas realizadas em 2014 na cidade para verificar o curso técnico que contemplaria as principais demandas do município.

“No primeiro vestibular, o curso de mecatrônica teve uma densidade de 10,8 estudantes por vaga, mostrando que as audiências e as pesquisas realizadas foram realmente efetivas”, aponta o diretor. De acordo com ele, há uma grande procura pelo curso por parte de trabalhadores das indústrias da região que buscam uma qualificação reconhecida.

Com mais de 130 alunos matriculados no curso técnico de mecatrônica, no preparatório para o vestibular e nos cursos Proeja/FIC de agente de projetos sociais e desenhista mecânico, a assinatura da portaria era uma notícia ansiosamente aguardada pela comunidade: “A assinatura da portaria consolida o nosso trabalho e garante da efetivação do câmpus no município”.

 

Evento debate avanços e conquistas da educação, e Rede Federal é citada como estratégica na política educacional

“Hoje, a marca IF já está no imaginário dos brasileiros como uma marca de qualidade”, ressalta Marcelo Bender

Além do ato solene de inauguração de 224 obras em 38 universidades federais e de 41 novos câmpus em 21 institutos federais, o evento trouxe um panorama dos avanços e conquistas da educação no Brasil.

O reitor Marcelo Bender, no ato representando o Conif, foi uma das autoridades a discursar na solenidade. Em sua fala, o dirigente destacou a mudança operada pela criação da Rede Federal no Brasil. “Já somos 603 unidades espalhadas em todo o país atendendo a uma carência efetiva de educação gratuita e de qualidade no território brasileiro”, destacou Bender. Segundo ele, a Rede Federal é forte e estratégica no Brasil por atingir muitas localidades antes desatendidas em relação a ensino técnico e profissional: “hoje, a marca IF já está no imaginário dos brasileiros como uma marca de qualidade”.

Em sua fala, a presidente Dilma Rousseff destacou que o processo de democratização da educação superior e da educação profissional e tecnológica no país tem acontecido por meio da interiorização. “Se não tem universidade no interior, os cidadãos brasileiros e as cidadãs brasileiras precisam ter recursos para se deslocar até os grandes centros”, disse. “Sempre foi assim, antes; e aí, as pessoas de posses médias ou de pequenas posses não podiam estudar, não podiam fazer um curso”.

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, conduziu sua fala trazendo informações sobre o acesso, a inclusão, a permanência e a qualidade da educação no país. Em relação ao ensino médio, o ministro destacou a preocupação do governo em oferecer, nessa etapa, formação técnica e profissional aos estudantes, tendo os institutos como aliados na preparação dos professores.

Após a cerimônia, as placas de inauguração das obras e das unidades foram entregues pela presidente Dilma Rousseff aos dirigentes representes do Conif, Marcelo Bender, e da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições de Ensino Superior (Andifes), Maria Lucia Cavalli Neder.

Com informações da Assessoria de Comunicação Social do MEC

registrado em:
Fim do conteúdo da página