Ir direto para menu de acessibilidade.

GTranslate

Portuguese English French German Italian Spanish

Opções de acessibilidade

Você está aqui: Página inicial > Curricularização da Extensão e Pesquisa > Curricularização da Extensão e Pesquisa
Início do conteúdo da página

A curricularização da Extensão e Pesquisa

Escrito por Coordenadoria de Comunicação Social | Publicado: Segunda, 07 de Março de 2022, 16h16 | Última atualização em Segunda, 07 de Março de 2022, 16h16

A Curricularização da Extensão, a partir da Resolução CNE/CES nº 07/2018 que regulamenta a aplicação da estratégia 12.7 do PNE e estabelece as diretrizes para a extensão nos cursos das instituições de ensino superior, marca uma etapa histórica na trajetória da extensão no Brasil:  a consolidação da extensão como dimensão acadêmica, inserida no PPC, imprescindível à interação transformadora entre as instituições de ensino e os outros setores da sociedade, por meio da produção e da aplicação do conhecimento, em articulação permanente com o ensino e a pesquisa.

Neste sentido, o Fórum de Pró-Reitores/as de Extensão (Forproext) e o Fórum de Dirigentes do Ensino (FDE) da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (RFEPCT) vêm, ao longo dos últimos anos, acumulando estudos e debates acerca das concepções, das diretrizes e das características da extensão, bem como  aprofundando o debate sobre a curricularização da extensão. Assim, a extensão é compreendida na dimensão da formação integral e da indissociabilidade com o ensino e a pesquisa,  orientando e acompanhando os trabalhos de implementação desta ação em cada unidade da RFEPCT.

A Resolução CNE/CES 07/2018 define que seja garantido o mínimo de 10% (dez por cento) do total de créditos curriculares dos cursos de graduação em atividades de extensão, orientados prioritariamente para as áreas de grande pertinência social.

Dessa forma, para além de cumprir os prazos estabelecidos pela legislação e realizar o estabelecimento de estratégias a fim de organizar a operacionalização do processo, é necessário a compreensão do que é, e do por que fazer  extensão nas instituições de ensino. Porém, mais relevante ainda, deve ser a sensibilização de estudantes,  servidores e a sociedade em geral das razões de inserir a extensão no currículo dos cursos.

O IFSul entendendo a oportunidade de consolidar a indissociabilidade do ensino, pesquisa e extensão avaliou ser pertinente curricularizar, também, a pesquisa num percentual menor, mas não menos importante.

Sendo assim, a Curricularização da pesquisa como princípio pedagógico é uma proposta articuladora para o processo de ensino-aprendizagem, onde utiliza a aplicação prática sistemática de processos metodológicos de investigação orientados junto às/aos estudantes para a construção do conhecimento e aprendizagem, vinculadas à sua formação.

A Pesquisa científica básica e/ou aplicada deve(m) ser articulada(s) com o ensino e com a extensão desenvolvida(s) sob a forma de programas ou projetos utilizando o método científico, ou ainda, por meio de práticas de pesquisa nos componentes específicos na matriz curricular.

Nesse contexto, faz-se essencial o início das discussões e o planejamento institucional do processo de implantação da Curricularização da Extensão e da Pesquisa no IFSul

registrado em:
Fim do conteúdo da página